электронная
60
печатная A5
252
18+
Roubo da esposa

Бесплатный фрагмент - Roubo da esposa

Agência Amur


5
Объем:
17 стр.
Возрастное ограничение:
18+
ISBN:
978-5-4490-7178-1
электронная
от 60
печатная A5
от 252

18+

Книга предназначена
для читателей старше 18 лет

É segunda de manhã. Novo dia de trabalho, uma nova semana de trabalho. Hora de resumir os resultados da semana anterior, agendar eventos para o futuro. Agência Amur (assuntos de amor) reunidos com força total, sou eu e Victoria, minha assistente.

— Bem, como. Oleg, não esqueceu sua beleza de um jogo de computador? Você sente falta dela?

— Sim, eu lembro.

— Você acha que será encontrado?

Eu não sei. Já se passaram seis meses e não há notícias dela. Para onde ela foi? Provavelmente, houve uma falha do programa de computador.

“Mas a segunda garota se mudou para cá, para a nossa realidade?”

— Sim, Lena se casou com o autor do jogo, por Alex. Ele fez seus documentos, registrados para ela.

“E como eles vivem, ok?”

— Eu não sei, estamos conversando com o Alex agora.

“E talvez Julia não procure por você, não porque ela estava perdida, mas porque encontrou outra aqui?”

— Sim, eu já pensei nisso. Mas ela não podia esquecer que estava entre nós.

— Houve um amor muito grande?

— Sim, é ótimo.

Nós ficamos em silêncio. Eu me lembrei da linda Julia, como estávamos bem com ela lá, em um jogo de computador. Como fizemos amor com ela em nossa lua de mel.

Mas hoje é segunda-feira, temos que trabalhar.

— Temos alguém por hoje?

— Sim, esperamos um certo cavalheiro sobre… Em geral, em que ocasião, eu ainda não entendo. Mas uma pessoa importante.

E o visitante não se obrigou a dar. Um proeminente homem de meia-idade, bem vestido, entrou na sala.

— Posso falar livremente aqui? Tudo deve ficar entre nós.

Sim, claro.

— Meu nome é Anton Vladimirovich, você pode apenas Anton. Eu tenho um posto importante no governo da cidade, eu resolvo questões sérias.

— Nós escutamos você, Anton.

“Não me apresse, eu não quero perder nada.”

“Talvez chá ou café?”

— Sim, você pode tomar uma xícara.

Victoria foi fazer café.

Depois de uma pausa, Anton Vladimirovich continuou.

— Há cerca de seis meses recebi uma ligação de um conhecido. Ele trabalha como médico-chefe no hospital Aleksandrovskaya. De alguma forma este médico está em dívida comigo. Ele sabia que naquela época eu estava sozinho e estava interessado, digamos, no sexo oposto. Ele ligou e disse que a ambulância levou uma mulher ao hospital com uma perda de memória. A paciente é excepcionalmente bonita, mas sua personalidade não pode ser estabelecida. Esta mensagem me interessou e eu disse ao médico que se ela não se lembra de nada e não sabe quem ela é, então deixe-me ligar de novo, depois de um tempo. E ele ligou. A mulher teve que ser liberada do hospital e, para onde ela foi, não ficou totalmente claro. A polícia e as agências de proteção social demoram para tomar uma decisão, mas se oferecem para tratá-la ainda mais, até que a memória seja totalmente restaurada. Mas o hospital não pode tratar interminavelmente uma pessoa, lá também, suas normas e limites.

Quanto mais Anton falava, mais eu pensava que era Julia. Ela foi encontrada?

“Diga-me, Anton, me perdoe por me interromper, mas onde a cidade encontrou essa mulher?” De onde veio a ambulância dela?

Eu não sei. Sim, o que isso importa?

“Com licença, continue.”

O cliente ficou em silêncio, aparentemente queria pegar o fio elusivo da narrativa.

Vika trouxe café, colocou uma xícara na nossa frente.

— Então, fui ao hospital para ver essa super-beleza. E, de fato, o médico não mentiu, a menina era deslumbrante beleza. Ela não lembrava seu nome ou sua vida passada. Absolutamente nada. O médico me apresentou a ela como filantropo e filantropo. Como uma pessoa que ajuda pacientes em diferentes situações.

“Mas não é assim?”

“O que há de errado?”

— Bem, você não ajuda outros pacientes? É só para conhecê-la?

— Sim, o médico jogou junto. Nós conversamos com a garota, eu lhe ofereci ajuda. Mover-se para mim, sob a supervisão de um médico visitante, para viver. Completamente livre.

— Ou seja, você não ia entrar em um relacionamento com ela?

Anton olhou para mim com atenção.

— Do que você está falando?

“Desculpe, eu o interrompi de novo.”

— Então, eu delineei sua perspectiva. Ou ser expulso do hospital ou se mudar para um hospital psiquiátrico por um longo tempo.

“E o que ela escolheu?”

“Ela concordou em ficar comigo.”

Aqui está o bastardo! Eu aproveitei a falta de memória de Julia para atraí-la para mim. Um canalha!

“Eu a estabeleci em minha residência no campo.” Nós começamos a “conhecer”. Você entende o que quero dizer.

Minha respiração foi dominada. Claro, eu entendi o que significa “conhecer”.

Gradualmente, a memória começou a voltar para ela. Julia (Julia, é você?!), Então o nome da garota, diz agora que ela se lembra de tudo. Mas ele diz alguma bobagem. Sobre um jogo de computador, amor virtual e tudo mais.

Corei, mas Anton não percebeu.

Eu notei Victoria. Ela virou os olhos e olhou para mim em branco. Eu fiz um sinal para ela olhar para mim.

As memórias de Julia me incomodaram. Convidei um psiquiatra para uma consulta. Ele disse que não há motivos especiais para se preocupar. Sua história de vida inventada vai desmoronar como um castelo de cartas, só é necessário encontrar um dos elos da sua verdadeira vida pré-hospitalar. É por isso que me virei para você. Eu não posso ir para a polícia, Julia é praticamente ninguém para mim. Entre em contato com a agência de detetives também não está com a mão, não há crime aqui. Então eu vim para sua agência Cupido, casos de amor. Você vai me ajudar?

— Vamos tentar. Julia pode vir até nós, para a agência?

Бесплатный фрагмент закончился.
Купите книгу, чтобы продолжить чтение.
электронная
от 60
печатная A5
от 252